acheter du cialis en ligne
user_mobilelogo

Selos de Qualidade

Escola Saudável original 3nivel

Serviços Online

   email  Email

  moodle Moodle

   eschooling logo2  Sumários

   eschooling logo2  Alunos & E.E.

Refeitório - Ementas

    icon cardapio  EB1 e JI 

    icon cardapio  EB23PBP

    icon cardapio  ESJBV

 

Sugestões do Mês

   6-Book-Club-icon Leitura

   movie-camera-icon small Cinema

   music-note-SH-icon Música

Documentos Orientadores

    pdf 24  Carta de Missão 

 

    pdf 24  Projeto Educativo

 

    pdf 24  Plano de Atividades

 

    pdf 24  Regulamento Interno

 

    pdf 24  Plano de Formação

 

    pdf 24  PNPSE do Agrupamento

 

     pdf 24  Promoção da Disciplina

Projetos do Agrupamento

 Academia de Autores logo

 

PES logo

 

infopoint aejbv logo

Projetos Erasmus +

 comenius logo

 

MUSEUMS IN EDUCATION logo

 

Consious Consumers of Future logo 

 

logo

Projetos Nacionais

PNL logo

 

FIPCE 18 19 png

 escola amiga da crianca logo

 

 programacao robotica

 

scratch logo

 

webinr DGE

 

EuroRun logo

 

seguranet

Siga-nos

facebook logo    twitter logo    youtube logo     

Quem está em linha

Temos 12 visitantes e sem membros em linha

Proteção de Dados

Encarregado de Proteção de Dados
Jorge Manuel Carrasquinho Vieira
rgpd.dsral@dgeste.mec.pt
Telefone: 289 893 900
Morada: EN125, Sítio das Figuras,
8000-761 Faro

os doze de inglaterraAutor: Eduardo Teixeira Coelho

Editora: Gradiva

Género: Banda Desenhada

Ano: 2016

Páginas: 120

Sobre o livro:

Os doze de Inglaterra foi publicado entre 1950 e 1951 na revista O Mosquito e era uma adaptação, com texto de Raul Correia e desenho de Eduardo Teixeira Coelho, de uma novela de António de Campos Júnior, intitulada "Ala dos Namorados".

Mais de 50 anos depois - e uma década depois da morte de Eduardo Teixeira Coelho - a banda desenhada é publicada em álbum, com direção e nota introdutória de José Ruy, outro dos autores históricos da nona arte portuguesa.

"Estamos perante uma das melhores histórias de cavalaria contadas em quadradinhos", escreve José Ruy na introdução, explicando que para a edição em livro foram feitas reproduções a partir de provas impressas na época.

"No álbum agora editado pela Gradiva manteve-se a característica da cor de fundo adoptada pelo jornal, que se sobrepunha ao traço preto e que nas edições originais de cada prancha saía semanalmente com tons diferentes", afirma José Ruy.

Com esta edição, a Gradiva associa-se ainda aos 80 anos da revista O Mosquito, uma das populares publicações dedicadas à banda desenhada na primeira metade do século XX e cujo primeiro número saiu a 14 de janeiro de 1936. Eduardo Teixeira Coelho, que morreu em 2005, foi um dos autores de referência desta publicação.

"Os doze de Inglaterra" é um dos episódios narrados por António de Campos Júnior no romance "Ala dos Namorados", mas a história medieval já antes tinha sido contada na literatura portuguesa, nomeadamente em "Os Lusíadas", de Luís Vaz de Camões.

Esta é a história de doze cavaleiros portugueses, entre os quais D. Álvaro Gonçalves Coutinho, o "Magriço", que seguem para Inglaterra para enfrentar outros tantos cavaleiros ingleses e defender a honra de doze damas inglesas acusadas por estes de falta de virtude.

"Na transposição do romance para quadradinhos, Eduardo Teixeira Coelho aplicou todo o seu talento, estilo e rigor, dando expressão às descrições do romancista com o seu traço estilizado, acentuando o movimento e a força das situações dramáticas da narrativa de Campos Júnior", sublinhou José Ruy.

Com um estilo clássico e realista, Eduardo Teixeira Coelho é considerado uma das figuras maiores da banda desenhada portuguesa e um dos que melhor se apropriou de narrativas de pendor histórico.

eduardo teixeira coelhoSobre o autor:

Nasceu em Angra do Heroísmo a 4 de Janeiro de 1919 e faleceu a 31 de Maio de 2005 em Florença (Itália), onde residia.

Assinou por vezes como ET Coelho, outras apenas como ETC. No estrangeiro, chegou a assinar com o pseudónimo Martin Sièvre.

Foi ilustrador, pintor e desenhista. Estreou-se a 16 de Abril de 1936. Depois, tornou-se um dos autores fixos da revista “O Mosquito”, que deixou de se publicar em 1953 e, no ano seguinte, agastado com as limitações do regime de Salazar, emigrou: Espanha, França, Inglaterra e novamente França, onde teve também uma brilhante carreira.

Nos inícios dos anos 70, radicou-se em Itália, mas criando apenas para a França.

Em 1973 recebeu o prémio “Yellow Kid” no Salão Internacional de Lucca e, em 1986, recebeu o troféu “Mosquito Especial”.

Em 1997, foi-lhe atribuído o “Grande Troféu” do Festival Internacional da Amadora.

Da sua enorme bibliografia, salientamos algumas obras ou séries estreadas em Portugal: “Os Guerreiros do Lago Verde”, “Os Náufragos do Barco Sem Nome”, a trilogia das “Mouras”, a série “Falcão Negro”, “Os Doze de Inglaterra “ (uma maravilhosa obra-prima!), alguns contos de Eça de Queiroz (“A Aia”, “Suave Milagre”, “A Torre de D. Ramires”, “O Defunto” e “O Tesouro”).